SEDUCE realiza Festival de Humanidades da APA Pouso Alto

unnamed (2)

Nos próximos dias 22 e 25 de junho, o Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis/IPEARTES, da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte/SEDUCE, realizará, na cidade de Alto Paraíso de Goiás, o Festival/Seminário de Humanidades da Área de Proteção Ambiental/APA Pouso Alto. Na programação do evento serão apresentadas as produções resultantes dos projetos desenvolvidos por cerca de 500 estudantes e professores do Ensino Médio das escolas estaduais participantes da Olimpíada de Humanidades.

O evento será fechado para professores e educadores participantes das Olimpíadas de Humanidades. Somente a abertura do Festival será aberta à comunidade e se realizará na sede provisória do Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis, a partir das 17h. Na ocasião haverá a apresentação do musical “Amor e Caos”, do grupo Os Menestréis, que faz parte do Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte/SEDUCE.

 

A Olimpíada

A Olimpíada de Humanidades é uma iniciativa da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte/SEDUCE, realizada por meio do IPEARTES, com o intuito de promover novas formas de aprendizagens e geração de conhecimento nos seis municípios da APA Pouso Alto. Mediante o incentivo ao desenvolvimento de projetos interdisciplinares no campo das Ciências Humanas e Artes, o concurso visa fortalecer o trabalho das escolas, empoderando as culturas locais e estimulando seu protagonismo na busca por soluções para os problemas socioambientais que atualmente enfrentam em seus territórios.

A iniciativa traduz o empenho do Governo de Goiás em garantir a qualidade da educação no estado e reafirmar seu compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ODS/ONU). Sua realização está articulada com iniciativa de âmbito internacional, o Concurso de Humanidades da UNESCO, que é vinculado à Conferência Mundial das Humanidades, que ocorrerá entre os dias 6 e 12 de agosto de 2017, na cidade de Liège, na Bélgica.

 

Para mais informações sobre a Conferência Mundial de Humanidades, acessar: www.humanities2017.org/en

 

Ao longo da realização do projeto da Olimpíada de Humanidades, que se estendeu de fevereiro à junho do presente ano, foram realizadas uma série de ações formativas junto às escolas participantes. Como prêmio pelo desempenho e participação no projeto, a SEDUCE custeará a ida de cinco participantes, três professores e dois estudantes, para apresentarem os resultados da referida experiência na Conferência da Bélgica. O tema do concurso é “Desafios e responsabilidades para um planeta em transição”, o mesmo do referido congresso internacional.

Além disso, os estudantes participantes do concurso em questão também serão contemplados com uma visita ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Na ocasião será desenvolvida ação educativa com cada uma das escolas envolvidas. As visitações ocorrerão entre os dias 20, 21, 27, 28 e 29 do presente mês.

Mais informações sobre os projetos e demais atividades relacionadas à Olimpíada de Humanidades podem ser encontradas na página oficial do evento:  www.humanidadespousoalto.wixsite.com/olimpiada2017

 

 

O Festival

O Festival de Humanidades integra o conjunto de ações previstas no âmbito da realização da Olimpíada de Humanidades. Trata-se de momento voltado à socialização dos projetos desenvolvidos pelas escolas ao longo do semestre. A expectativa é que o evento conte com a presença de aproximadamente 100 pessoas, entre as quais estarão os representantes, docentes e discentes, das sete unidades escolares participantes da Olimpíada de Humanidades, dentre outros convidados.

A programação do evento incluirá a realização de seminários para a socialização dos oito projetos desenvolvidos ao longo do semestre pelas unidades escolares e também rodas de conversa com pesquisadores universitários especialistas nas áreas de Ciências Humanas e Artes. Na ocasião, também serão ofertados dois minicursos para o público presente, sendo um deles voltado para a elaboração de projetos intertransdisciplinares e o outro para o ramo da economia criativa, com mediação do SEBRAE/GO.

unnamed

 

As escolas participantes

Ao todo sete escolas estaduais de Ensino Médio, de seis municípios integrantes da APA Pouso Alto, estão envolvidas na realização da Olimpíada de Humanidades. São elas: o Colégio Estadual Moisés Nunes Bandeira e o Educandário Humberto de Campos, conveniada da Rede Estadual de Educação de Goiás, ambas pertencentes ao município de Alto Paraíso de Goiás; o Colégio Estadual Elias Jorge Cheim, de Cavalcante; o Colégio Estadual Joaquim Tomaz F. Da Silva, de Colinas do Sul; o Colégio Estadual Mal. Humberto de A. Castelo Branco, de Nova Roma; o Colégio Estadual Frederico Bernardes Rabelo, de São João D’Aliança e o Colégio Estadual Joaquim de Souza Fagundes, de Teresina de Goiás.

Aceitando o convite de participar da Olimpíada de Humanidades, cada escola lança-se ao desafio de encontrar soluções para os problemas enfrentados em suas localidades. Mediante a elaboração e execução de projetos destinados a tais fins, elas cumprem um papel ativo na defesa de suas comunidades, tecendo redes de solidariedade para a proteção de um território em comum, a APA Pouso Alto.

qqq

 

A APA Pouso Alto

A APA de Pouso Alto, criada pelo Governo do Estado de Goiás por meio do Decreto 5.419 de 07 de maio de 2001, localiza-se na microrregião da Chapada dos Veadeiros, região nordeste do Estado de Goiás, ocupando aproximadamente 2,36% da área estadual. Pertence ao Bioma Cerrado e abrange os seguintes municípios: Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Colinas do Sul, Nova Roma, São João D’Aliança e Teresina de Goiás. Foi criada com o objetivo de fomentar o desenvolvimento sustentável e preservar a flora, a fauna, os mananciais, a geologia e o paisagismo da região do Pouso Alto, localizada na Chapada dos Veadeiros.

Integra várias áreas de proteção ambiental: o Corredor Ecológico Paranã-Pirineus, corredor de biodiversidade formado por um mosaico de unidades de conservação de uso pouco intensivo e a Reserva da Biosfera do Cerrado, porção representativa do ecossistema do Cerrado. Tratam-se ambas de áreas que objetivam o investimento no aprofundamento de pesquisas científicas para ampliar o conhecimento a respeito dos processos de degradação ambiental e melhor combater as suas causas. Abriga também o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, recentemente ampliado de 65 mil para 240 mil hectares (quase de quatro vezes o tamanho anterior).

q1

 

O Cerrado

O Cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, ocupando mais de 20% do território nacional. O termo Cerrado é geralmente utilizado para designar o conjunto de ecossistemas (savanas, matas, campos e matas de galeria) que ocorrem no Brasil Central. Atualmente, cerca de 50% das áreas nativas de ocorrência do Cerrado foram transformadas em pastagens plantadas e mais de 11% em áreas agrícolas.

As transformações ocorridas no Cerrado, principalmente ao longo do século XX, trouxeram grandes danos ambientais como a fragmentação de hábitats, extinção da biodiversidade, invasão de espécies exóticas, erosão dos solos, poluição de aquíferos, degradação de ecossistemas, alterações no regime de queimadas naturais, desequilíbrios no ciclo do carbono e possivelmente modificações climáticas regionais.

A biodiversidade do Cerrado é extremamente significativa e estima-se que existam nesse bioma mais de 7.000 espécies de plantas, 199 espécies de mamíferos, 837 espécies de aves, 180 espécies de répteis, 150 espécies de anfíbios e 1.200 espécies de peixes.

É considerado um dos hotspots mundiais da biodiversidade, o que significa que é um dos biomas mais ricos em termos de biodiversidade ao mesmo tempo em que também é um dos mais ameaçados do planeta.

 

 

 

 

Glossário

Área de Proteção Ambiental (APA): unidade de conservação da natureza de ampla extensão territorial que abriga em seu interior assentamentos humanos junto a um conjunto expressivo de atributos naturais e culturais. É regida pelo Sistema Nacional de Unidades de Natureza (SNUC), Lei 9.985/00, e tem por finalidade a proteção da diversidade biológica, a ordenação dos processo de ocupação e uso do solo e o desenvolvimento sustentável.

 

De acordo com o SNUC, uso sustentável é a exploração do ambiente de maneira a garantir a perenidade dos recursos ambientais renováveis e dos processos ecológicos, mantendo a biodiversidade e os demais atributos ecológicos, de forma socialmente justa e economicamente viável.

Hotspot: área com pelo menos 1.500 espécies endêmicas de plantas e que tenha perdido mais de 3⁄4 de sua vegetação original (Conservação Internacional, 2013).

q2

 

Os projetos

Veja a seguir um resumo dos projetos desenvolvidos pelas escolas participantes da Olimpíada de Humanidades da APA Pouso.

 

Educandário Humberto de Campos, Alto Paraíso de Goiás

Título: Educandário Humberto de Campos em Ação, retratando suas origens

Sinopse: o projeto destinou-se ao resgate do processo histórico da escola a fim de descobrir o papel que a instituição ocupa, ocupou e ocupará no território da Chapada dos Veadeiros/APA Pouso Alto. Envolveu processos de levantamentos de dados em documentos históricos e trabalho de campo com personagens que ajudaram a construir a história da unidade escolar. A materialização do processo de pesquisa resultou na elaboração de uma peça teatral e na montagem de uma fotonovela, dividida em três atos e doze fotografias.

Equipe: 4 (quatro) professor@s e 14 estudantes

 

CE Moisés Nunes Bandeira, Alto Paraíso de Goiás

Título: A Biodiversidade do Cerrado e a importância das Nascentes

Sinopse: o projeto buscou contribuir para a construção de uma cultura de preservação do bioma Cerrado, a partir de pesquisa e trabalho de campo sobre as nascentes hídricas do município de Alto Paraíso e de reflexão sobre a questão do acesso à água potável. A materialização do processo de pesquisa resultou na produção de um documentário e uma exposição fotográfica.

Equipe: 3 (três) professor@s e 13 estudantes

 

CE Elias Jorge Cheim, Cavalcante

Projeto 1

Título: Pedalada do Ecosaber

Sinopse: o projeto busca, a partir da realização de um passeio ciclístico pela cidade, que envolve trilha urbana e rural, despertar o olhar crítico e atendo dos educandos para os problemas urbanos e naturais e para questões relacionadas à preservação do patrimônio cultural, ambiental e histórico, bem como para a melhoria da qualidade de vida a partir do cultivo do uso da bicicleta no cotidiano. Além do próprio passeio, a materialização do processo de pesquisa previamente realizado para a coleta de dados sobre a história da cidade e sua situação atual resultou na produção de um documentário e numa exposição fotográfica.

Equipe: 3 (três) professor@s e 41 estudantes.

 

Projeto 2

Título: Relação Homem-Natureza, conhecendo e aprendendo com as cobras

Sinopse: o projeto busca, a partir do estudo sobre nove tipos de ofícios comumente encontrados na região, orientar a relação das pessoas com as cobras, de forma a reduzir o risco de acidentes e também diminuir a aversão a essas espécies de animais. O processo de pesquisa envolveu ainda um trabalho de campo junto à população urbana local para identificar mitos e lendas referentes aos animais em questão. A materialização do projeto se deu por meio de pinturas em camisetas, registro dos relatos e lendas e exposição do material junto à comunidade.

Equipe: 3 (três) professoras e 32 estudantes.

 

 

CE Joaquim Tomaz F. Da Silva, Colinas do Sul

Título: S.O.S Almécegas

Sinopse: o projeto buscou contribuir para a revitalização do rio Almécegas, importante afluente do lago Serra da Mesa, ressaltando os valores sociais necessários para alcançar tal objetivo. O rio está situado na região urbana de Colinas do Sul e possui importante valor histórico-cultural para a cidade, porém vem sendo deteriorado ao longo de décadas. O projeto contemplou a realização de pesquisa de campo para coleta de dados e materiais naturais e artificiais jogados no rio (lixo). A materialização do processo de pesquisa resultou na produção de exposições a partir da ressignificação do lixo coletado no rio.

Equipe: 5 (cinco) professor@s e 140 estudantes

 

CE Mal. Humberto de A. Castelo Branco, Nova Roma

Título: Melhoria Ambiental e Qualidade de Vida

Sinopse: o projeto buscou promover e aprimorar a preservação e conservação da biodiversidade juntamente com o resgate da cultura local e regional, para melhorar a gestão ambiental dos recursos naturais. A materialização do processo de pesquisa resultou na produção de artesanatos, brinquedos e esculturas com materiais coletados da natureza e também a partir da reciclagem do lixo nela encontrado.

Equipe: 5 (cinco) professor@s e 151 estudantes

 

CE Frederico Bernardes Rabelo, São João D’Aliança

Título: Cílios nos Olhos D’água, resgatando o patrimônio cultural da comunidade sãojoanense

Sinopse: o projeto buscou proporcionar o conhecimento e a conscientização dos alunos e da comunidade acerca dos temas que envolvam o patrimônio cultural do município de São João D’Aliança, desenvolvendo a construção de atitudes para a preservação com desenvolvimento sustentável ambiental, cultural e social, sobretudo a partir do trabalho de recuperação e cuidado com as nascentes. A materialização do processo de pesquisa resultou na produção de artesanatos a partir de elementos naturais e da edição de um documentário.

Equipe: 14 professor@s e 21 estudantes

 

CE Joaquim de Souza Fagundes, Teresina de Goiás

Título: Frutos da nossa história

Sinopse: o projeto buscou o valorizar os saberes populares, explorando e registrando os fatos inerentes à diversidade cultural do município. A materialização do processo de pesquisa resultou no registro de relatos e fotografias.

Equipe: 8 (oito) professoras e 40 estudantes

 

Os ODS

Em setembro 2015, mais de 150 líderes mundiais estiveram reunidos na sede da ONU, em Nova York, para adotar formalmente um novo caminho rumo ao alcance da sustentabilidade mundial. Nesse encontro é celebrada a construção de uma nova agenda, na qual estão assinalados os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que devem ser implementados por todos os países do mundo durante os próximos 15 anos, até 2030.

Veja a seguir quadro com resumo dos 17 ODS da ONU.

 

Para saber detalhes sobre os novos objetivos globais e as metas do milênio da ONU, acesse o link: https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030.

 q3

 

Goiás e os ODS

Dentre os 17 ODS estipulados pela ONU está o compromisso em “assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos” (ODS#4). Para efetivar esse objetivo, a SEDUCE se engaja na criação do Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis/IPEARTES.  A instituição deverá zelar pelo cumprimento do ODS#4 e das nove metas previstas para o setor educacional na Agenda 2030  da ONU.

Veja a seguir quadro comparativo entre as metas da ONU para a educação e a relação com as estratégias que vêm sendo formalmente adotadas pela SEDUCE para a implantação de cada uma delas.

­

Em encontro realizado no dia 13 de junho de 2016, foi celebrada, em Alto Paraíso de Goiás, a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica para a implantação dos 17 ODS ONU no estado. O documento assinalou a parceria firmada entre o Governo do Estado de Goiás, a prefeitura de Alto Paraíso e Associação Awaken Love. A ocasião também foi marcada pela homologação do plano de manejo da APA do Pouso Alto.

Em primeiro de dezembro de 2016, o governador Marconi Perillo assina o Decreto 8.824, instituindo as diretrizes gerais para o cumprimento do documento firmado em junho.  O acordo se traduz no projeto intitulado “Alto Paraíso: território do Bem Viver”.

No âmbito da implantação dos 17 ODS, Perillo destaca que a prioridade será a criação, em caráter imediato, do “Centro Cultural”, antigo projeto da cidade de Alto Paraíso e que foi ampliado para o contexto Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis/IPEARTES. A consolidação do projeto do IPEARTES encontra-se em processo de formalização, estando sob responsabilidade da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte/SEDUCE do estado de Goiás. O compromisso com a promoção de uma educação de qualidade está entre os 17 ODS da ONU (ODS#4), que deverão ser implantados até o ano de 2030. No caso, Alto Paraíso de Goiás foi eleita para ser a cidade modelo de sustentabilidade do estado.

 q4

q5

O IPEARTES

O Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis/IPEARTES é uma entidade vinculada à Secretaria de Educação, Cultura e Esporte do Estado de Goiás (SEDUCE/GO), criado para atender ao Projeto Alto Paraíso: Território do Bem Viver, instituído pelo Governo do Estado de Goiás mediante Decreto 8.824/2016. Sua sede está localizada na cidade de Alto Paraíso de Goiás, com atuação nos municípios que compõem a Área de Proteção Ambiental (APA) Pouso Alto.

Atuará no âmbito educacional, numa perspectiva pedagógica emancipadora, autônoma e holística, em prol do empoderamento dos sujeitos a partir da intertransdisciplinaridade entre Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis. Em busca da consolidação do Programa de Educação do Bem Viver, o IPEARTES desenvolve programas, projetos, ações e atividades comprometidas com o desenvolvimento das experiências de vida humana, fundamentada nos princípios: Arte Educação, Cultura de Paz, Direitos Humanos e Diversidade, Sustentabilidade e Educação Integral para que garanta a promoção dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), preconizados pela Organização das Nações Unidas (ONU) para 2030.

Envolverá duas linhas de atuação: uma dentro do campo de educação formal, a partir da implantação do Projeto Escola Inovadora e outra no campo de educação não-formal, com o Projeto Cidade Educadora. Este último se traduz em três áreas distintas e interligadas de ação, seguindo a própria estrutura da SEDUCE: o   Espaço Ecoeducacional, o Espaço Ecocultural e Espaço Escoesportivo.

A educação e os ODS

Metas da Educação/ODS#4
Número da Meta Propostas de ações concretas/ODS# Políticas da SEDUCE
4.1  

 

 

 

Até 2030, garantir que todas as meninas e meninos completem o ensino primário e secundário livre, equitativo e de qualidade, que conduza a resultados de aprendizagem relevantes e eficazes.

·         Formação de professores referente à ferramenta de desenvolvimento das habilidades socioemocionais

·         Desenvolvimento de ações pedagógicas para o acesso, permanência e conclusão do ensino fundamental

·         Jornada de ampliação da aprendizagem no Instituto de Pesquisa Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis

·         Fortalecimento da carreira e adoção do sistema de bônus por desempenho

·         Fornecimento de merenda escolar aos alunos da educação básica

4.2 Até 2030, garantir que todas as meninas e meninos tenham acesso a um desenvolvimento de qualidade na primeira infância, cuidados e educação pré-escolar, de modo que eles estejam prontos para o ensino primário. ·         Implementação cultura da meditação por meio do projeto Um minuto de silêncio

·         Inserção de Alto Paraíso no programa Goiás Mais competitivo – Aliança municipal para competitividade – Educação Infantil

4.3 Até 2030, assegurar a igualdade de acesso para todos os homens e mulheres à educação técnica, profissional e superior de qualidade, a preços acessíveis, incluindo universidade. ·         Implementação de cursos tecnológicos e de formação inicial e continuada (PRONATEC e FIC)

·         Implantação de cursos universitários em parceria com a UEG

·         Implantação de curso de pós-graduação: especialização e mestrado

4.4 Até 2030, aumentar substancialmente o número de jovens e adultos que tenham habilidades relevantes, inclusive competências técnicas e profissionais, para emprego, trabalho decente e empreendedorismo. ·         Implementação do Coletivo Jovem Educador

·         Desenvolvimento de ações pedagógicas para o fortalecimento do Coletivo Jovem Educador

·         Realização de Mostras, Festivais de Arte, Encontros, Seminários e Olimpíadas de Humanidades.

·         Prêmio de Excelência

4.5 Até 2030, eliminar as disparidades de gênero na educação e garantir a igualdade de acesso a todos os níveis de educação e formação profissional para os mais vulneráveis, incluindo as pessoas com deficiência, povos indígenas e as crianças em situação de vulnerabilidade. ·         Atendimento aos alunos em situação de vulnerabilidade social ou privados de liberdade

·         Desenvolvimento de ações pedagógicas da educação especial

4.6 Até 2030, garantir que todos os jovens e uma substancial proporção dos adultos, homens e mulheres estejam alfabetizados e tenham adquirido o conhecimento básico de matemática. ·         Desenvolvimento das ações pedagógicas da educação de jovens e adultos
4.7  

 

 

 

Até 2030, garantir que todos os alunos adquiram conhecimentos e habilidades necessárias para promover o desenvolvimento sustentável, inclusive, entre outros, por meio da educação para o desenvolvimento sustentável e estilos de vida sustentáveis, direitos humanos, igualdade de gênero, promoção de uma cultura de paz e não violência, cidadania global e valorização da diversidade cultural e da contribuição da cultura para o desenvolvimento sustentável.

·         Implementação do Programa Educação do Bem Viver

·         Formação continuada de professores para implementação do Projeto Experimental de Escola Inovadora

·         Formação continuada de educadores sociais para a implementação do Projeto Cidade Educadora

·         Realização de ventos de ecoeducação, ecocultura e ecoesporte para consolidar a Educação do Bem Viver (Seminários, Olimpíadas, Festivais, conferencias, congressos, encontros)

·         Desenvolvimento de projetos de Iniciação Científica Junior em parceria com a FAPEG

·         Estudos, Pesquisas, Mapeamentos e Produção de Tecnologias e Conteúdos Socioeducacionais

·         Realização de Atividades Extracurriculares

4.a Construir e melhorar instalações físicas para educação, apropriadas para crianças e sensíveis às deficiências e ao gênero, e que proporcionem ambientes de aprendizagem seguros e não violentos, inclusivos e eficazes para todos. ·         Criar o IPEARTES: aluguel de espaço provisório; aquisição de equipamentos, mobiliário, instrumentos, materiais pedagógicos e tecnológicos; composição do quadro de servidores; execução da planilha de despesas físicas; aquisição de frota de veículos; construção da sede definitiva; aquisição, distribuição, elaboração, produção, impressão e publicação de documentos periódicos e livros

·         Estudos, Pesquisas, Mapeamentos e Produção de Tecnologias e Conteúdos Socioeducacionais

·         Realização de Atividades Extracurriculares

4.b Até 2020, substancialmente ampliar globalmente o número de bolsas de estudo para os países em desenvolvimento, em particular os países menos desenvolvidos, pequenos Estados insulares em desenvolvimento e os países africanos, para o ensino superior, incluindo programas de formação profissional, de tecnologia da informação e da comunicação, técnicos, de engenharia e programas científicos em países desenvolvidos e outros países em desenvolvimento. 3 ·         Distribuição de bolsas de Iniciação Científica Junior em parceria com a FAPEG

·         Oferta de cursos profissionalizantes: PRONATEC e FIC

·         Implantação de estúdios de produção multimídia e telecentros

 

4.c Até 2030, substancialmente aumentar o contingente de professores qualificados, inclusive por meio da cooperação internacional para a formação de professores, nos países em desenvolvimento, especialmente os países menos desenvolvidos e pequenos Estados insulares em desenvolvimento. ·         Oferta  de cursos de pós-graduação em níveis de especialização e de mestrado, mediante parceria com a UEG

 

2

Fontes pesquisadas: Plano de Manejo da APA Pouso Alto, Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos de Goiás, 2017. http://www.secima.go.gov.br/post/ver/212649/area-de-protecao-ambiental-de-pouso-alto—apa-pouso-alto.

 

Serviço:

Assunto: Festival de Humanidades da APA Pouso Alto

Local: Alto Paraíso de Goiás – sede do IPEARTES

Data: de 22 a 25 de junho de 2017

Realização: Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão/IPEARTES, da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte do Estado de Goiás/SEDUCE-GO

Comentários estão fechados