Evento na UNESCO exibe produção de estudante da Chapada dos Veadeiros

banner_concurso_alto_paraiso

“Focar no hoje para mudar o amanhã”. Com essa frase a estudante Sayonara Pereira da Silva, que cursa o 3º ano do Ensino Médio no Colégio Estadual Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, localizado no município de Nova Roma/GO, conquistou uma vaga entre os oito finalistas do concurso “Phrase of the year 2017”. A competição, organizada pela Fundação Dhillon Marty, parceira da UNESCO, recebeu inscrição de trabalhos de jovens de 18 países. As produções foram apresentadas em evento realizado na sede da UNESCO, em Paris, no último dia 13.

Para participar da competição, cada inscrito deveria produzir um texto ensaio e um vídeo de até dois minutos de duração refletindo sobre alguma preocupação relevante no contexto do mundo global atual. A vencedora do concurso foi uma estudante da Universidade de Manchester, Reino Unido. Ela criou uma campanha humanitária nas redes sociais com a frase #shareyourhumanity.

Para mais informações sobre os trabalhos selecionados, acessar: http://www.dhillonmarty.org/phrase-of-the-year-competition-2017-finalists.

 

Crise hídrica

A preocupação central do trabalho de Sayonara esteve voltada para o problema da crise hídrica, que vem afetando significativamente a região onde mora. A questão também se destaca como um drama socioambiental global.

“Em muitos rios, onde anos atrás existia muita água, não se vê, atualmente, mais nenhuma gota, e a tendência é que isso venha a acontecer em vários outros rios, incluindo os de grande porte, como o Rio Paranã, cujo nível de água vem baixando a cada ano que passa. Na cidade onde moro, há muitos rios que secaram. Um deles passa no fundo da minha casa. É assustador pensar que um dia já quase me afoguei nesse rio e hoje não consigo nem molhar as pontas dos pés”, escreveu a estudante em seu texto ensaio apresentado para a competição.

 

Olimpíada de Humanidades

A participação de estudantes de escolas estaduais no concurso “Phrase of the year 2017” foi uma das ações de desdobramento do projeto Olimpíada de Humanidades. Ela mobilizou os seis jovens que estiveram representando a iniciativa na Conferência Mundial de Humanidades, realizada em agosto, na cidade de Liège, Bélgica. Outros estudantes participantes da olímpiada também se engajaram nessa proposta. Ao todo 11 produções foram enviadas para a competição da Fundação Dhillon Marty. Dentre os 17 ODS estipulados pela ONU está o compromisso em “assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos” (ODS#4). Para efetivar esse objetivo, a SEDUCE (Secretaria de Educação, Cultura e Esporte) criou o Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis/IPEARTES, que tem por coordenadora Luz Marina de Alcântara, como representante da secretária Raquel Teixeira.  A instituição está zelando pelo cumprimento do ODS#4 e das nove metas previstas para o setor educacional na Agenda 2030 da ONU.

A Olimpíada de Humanidades foi desenvolvida ao longo do primeiro semestre junto às unidades escolares de ensino médio integrantes da Área de Proteção Ambiental Pouso Alto, que além de Nova Roma, contempla também outros cinco municípios do nordeste goiano, em região conhecida como Chapada dos Veadeiros: Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Colinas do Sul, Teresina de Goiás e São João D’Aliança.

 

Para mais informações acessar: www.olimpiadadehumanidades.org.

Comentários estão fechados